Nossa História

 

 

Quando Rufino da Costa Filho adquiriu a Casa Parafuso, em 10 de outubro de 1961, não imaginava que, anos mais tarde, a loja, localizada na Rua Comendador Martins, nº 22/24, em Santos, se tornaria a principal referência na Baixada Santista para o comércio de mercadorias utilizadas em obras, reformas e outros serviços. Hoje, são 21 mil itens à venda: de parafusos a máquinas elétricas, e mais de 200 atendimentos por dia.

A loja foi comprada do santista Antonio Alves, que à época conduzia o estabelecimento comercial bem perto dali: na Rua Comendador Martins, nº 42. O que era apenas um ponto de venda, mas praticamente sem material e com apenas algumas caixas e um balcão, começou a crescer. E com a colaboração indispensável de João Nascimento, primo de Antonio, e que desde os seus 12 anos trabalha na loja, sendo hoje uma testemunha preciosa da transformação da Casa Parafuso.

De jeito sério e disciplinado, Rufino só olhava para frente. Enxergou possibilidades e, ao lado de João, o trabalho na loja só aumentava. De São Paulo, trazia as mercadorias: parafusos, porcas, arruelas, então os únicos produtos vendidos no local.

 

 

 

Em 1980, a Casa Parafuso estabeleceu-se definitivamente no endereço atual e o comércio passou a ganhar cada vez mais destaque. Em 1987, um dos netos, Marcelo da Costa, começou a trabalhar no local e, junto com o avô, o estabelecimento deslanchou, diversificando o estoque com ferramentas e acessórios diversos.

Por problemas de saúde, Rufino deixou o comando da loja aos 74 anos, em 1993. Um dos filhos, Reginaldo da Costa, assumiu o negócio. Em 1998, o estabelecimento passou definitivamente para o irmão Roberto Antonio, pai de Marcelo e de Fernando Antonio da Costa, que trabalhou na empresa por 15 anos.

 

A grande reforma

Marcelo herdou o perfil empreendedor do avô e só via mais chances da Casa Parafuso crescer. Em 2000, ele decidiu reformar o ponto comercial, ampliando o espaço de 70 metros quadrados para 270 metros quadrados.

A obra foi ousada: o negócio funcionava em dois imóveis, lado a lado. Em um, a loja. No outro, o depósito. Ao centro, duas escadas, que comprometiam as possibilidades da empresa aumentar a área de atendimento ao cliente. As escadas foram demolidas e toda a área cresceu, fazendo a fachada da loja passar dos 2,5 metros para 8 metros de largura.

Em 2014, a família Costa comprou um imóvel em frente à Casa Parafuso, de 450 metros quadrados, dedicado ao estacionamento exclusivo dos clientes.

Mas, engana-se quem pensa que a loja vende apenas porcas, parafusos e arruelas. Lá, é possível encontrar toda a linha de ferramentas, máquinas elétricas e EPIs. E, desde 2017, o local oferece a linha completa de solda, como eletrodos, máscaras e inversoras.

”Meu avô era um homem sério, honesto e disciplinado. Queria que o negócio crescesse. E nós continuamos na condução do trabalho da mesma forma”, diz Marcelo, de 46 anos, dos quais mais de 30 dedicados à Casa Parafuso.

E com tanto tempo à frente da loja, ele naturalmente passou por todas as funções do estabelecimento comercial: de balconista a gerente, incluindo vendas externas e entregador.

João, o santo protetor

Contar a história da Casa Parafuso não seria possível sem mencionar a importância de João Nascimento. O mais antigo colaborador da loja, hoje com 71 anos, trabalhou com Rufino desde os 12 e, até que o comerciante saísse do comando do negócio, foi seu fiel companheiro. Hoje, é o gerente geral. A gerência de vendas está nas mãos de Danilo Calazans.

”Ele deu a vida pela empresa. Me sinto um filho do seu Rufino, aprendi muito com ele e foi com o meu trabalho que tive a chance de crescer”, diz João.

Marcelo reforça: João é o pilar da empresa e é por ele que passam todos os novos funcionários, que são treinados sempre com a mesma dedicação e fidelidade para garantir o bom atendimento ao cliente. ”João é o primeiro a chegar e o último a sair. Muitos clientes antigos vêm à loja e querem ser atendidos por ele”, frisa Marcelo.

E, ao que tudo indica, além de fazer parte da trajetória da Casa Parafuso desde o começo, seu João, hoje, é um verdadeiro santo protetor. ”Ele ora e zela pela empresa”.

Vendas pela internet

Se, por um lado, há quem faça questão de ir à Casa Parafuso e escolher a dedo todos os itens necessários, por outro, comprar pela internet é hoje uma modalidade de comércio indispensável. Sem ficar de fora dessa tendência, a loja enfrenta agora seu mais novo desafio ao lançar uma plataforma de e-commerce para facilitar a vida dos clientes.

Por trás da nova empreitada está Marco Antônio da Costa, irmão de Marcelo e Fernando, e que agora assume a gestão das vendas digitais.

”Estamos preparados para essa nova realidade, a do comércio on-line, podendo estender nossa excelência em atendimento na loja física para a internet, atendendo ainda mais pessoas e de outras regiões”.

O site conta uma grande variação de itens e, a cada mês, novos produtos serão incorporados à lista, assim como novas promoções. Desta forma, a Casa Parafuso segue alinhada ao compromisso de se atualizar quanto às tendências de mercado, mantendo o mesmo atendimento com qualidade. Além do e-commerce, a Casa Parafuso está presente no Facebook e Instagram.

1961
a 1980
1980
a 2000
2000
a 2011
2011
Atualmente
WhatsApp chat